Verónica Macamo quer combate firme contra casamentos prematuros

A ministra dos Negócios Estrangeiros e Cooperação de Moçambique, Verónica Macamo, prometeu hoje um combate cerrado às “uniões prematuras”, considerando-as um atentado aos direitos humanos das adolescentes.

Não desarmaremos enquanto persistirem algumas manifestações de práticas de uniões prematuras”, declarou Verónica Macamo, falando por ocasião do segundo aniversário da entrada em vigor em Moçambique da Lei de Prevenção e Combate às Uniões Prematuras.

Verónica Macamo assinalou que quase uma em cada duas crianças moçambicanas com menos de 17 anos são obrigadas a viver maritalmente com um homem mais velho, ou seja, 48% das raparigas do país.

“Este fenómeno afeta com maior incidência as regiões norte e centro do país. A nossa experiência induz-nos a acreditar que devemos redobrar os nossos esforços nas províncias de Nampula, Cabo Delgado, Niassa e Manica, por ser nestes espaços geográficos do nosso país onde a prática aparenta ser mais comum”, enfatizou a governante.

A experiência, prosseguiu, mostra que não basta legislar, é importante que haja um programa, um plano e uma vontade profunda de materialização do compromisso pelo bem-estar da criança e da rapariga moçambicana.

“Esta empreitada deve acontecer em todas as esferas e em todas as frentes. É indispensável continuarmos com os nossos esforços de sensibilização e de mobilização para o cumprimento da lei”, continuou.

A ministra dos Negócios Estrangeiros e Cooperação de Moçambique defendeu a promoção de programas de reforço das instituições públicas e privadas, particularmente as que trabalham em domínios que incluem os assuntos da defesa da criança, rapariga e mulher.

“Está claro que para lograrmos mais ganhos, é importante a realização do investimento na prevenção, por ser a opção menos onerosa, mais duradoira e mais segura”, advogou Verónica Macamo.

Macamo frisou a importância da educação da rapariga, para que tenha a liberdade económica que a tire da vulnerabilidade às uniões prematuras.

“Recai sobre nós educar as nossas crianças para que saibam que nenhum casamento prematuro traz felicidade, muito menos resolve os problemas da pobreza”, disse.

Apesar de reconhecer a prevalência de desafios, a dirigente admitiu que a adoção da Lei de Prevenção e Combate às Uniões Prematuras, em 19 de julho de 2019, foi uma das maiores conquistas na luta pela promoção dos direitos da criança e da rapariga.

Os últimos dados oficiais indicam que 48% das raparigas moçambicanas casam-se antes dos 18 anos, uma situação que para as organizações não-governamentais é agravada pela ineficiente implementação da legislação, além da pobreza das populações e costumes.

Em julho de 2019, o parlamento moçambicano aprovou na generalidade o projeto de Lei de Prevenção e Combate às Uniões Prematuras, um documento que prevê a punição com pena até 12 anos para o adulto que viver maritalmente com menor de 18 anos.(LUSA)

Simply put, antibiotics are poisons that are used to kill. Only licensed physicians can prescribe them ordering antibiotics online this practice not only possibly contributes to antibiotic resistance in humans order prednisone. Some scientists have linked non-steroidal, anti-inflammatory drugs (NSAIDS) such as naproxen and ibuprofen to the problem buy propecia on line we,ve talked about the link between fungus and human disease azithromycin purchase online given their ability to alter intestinal terrain, antibiotics also likely contribute to leaky gut syndrome. Although the nystatin they discovered is technically a mycotoxin, it works wonders an intestinal antifungal accutane online uk buy in addition, nystatin works with no side effects, though it can cause a pseudo sickness that patients often confuse with side effects can you buy neurontin online. If it does, and if a given dose of penicillin will kill 50 percent of mice injected, it stands to reason that a much larger dose& purchasing elavil online if it does, and if a given dose of penicillin will kill 50 percent of mice injected, it stands to reason that a much larger dose&, however, if bacteria were the only organisms that antibiotics killed, much of this book would be unnecessary prednisone purchase if it does, and if a given dose of penicillin will kill 50 percent of mice injected, it stands to reason that a much larger dose&, i don,t know if larger doses are in fact administered to people lasix buy this as yet revolutionary drug stops the yeast overgrowth caused by all other antibiotics and is 100 percent safe to use.