Pessoas que sofrem desta doença jamais devem beber álcool alerta estudo

De acordo com uma nova pesquisa, o consumo de bebidas alcoólicas por pessoas infetadas com VIH está diretamente correlacionado a níveis mais reduzidos de uma proteína envolvida na formação óssea, aumentando assim o risco de osteoporose

A conclusão é de uma equipa de investigadores da Universidade de Boston, nos Estados Unidos, que conduziram um estudo publicado no periódico científico Alcoholism: Clinical and Experimental Research.

Entre os indivíduos infetados com VIH é comum que ocorra gradualmente a diminuição da massa óssea, mesmo que estes tomem anti-retrovirais.

“Não encontramos uma quantidade de consumo de álcool que parecesse ‘segura’ para o metabolismo ósseo destes doentes”, afirmou Theresa W. Kim, principal autora do estudo, num comunicado emitido à imprensa.

Acrescentando: “à medida que envelhecemos, a nossa capacidade de manter uma adequada formação óssea diminui. As nossas descobertas sugerem que, para as pessoas com VIH, o álcool pode tornar esse processo ainda mais difícil”.

Para efeitos daquela pesquisa, os cientistas examinaram os dados de 198 voluntários, que incluíram exames de sangue e inclusive o comportamento dos indivíduos. No final da experiência os investigadores apuraram que há uma relação expressiva entre o consumo de álcool e os níveis da proteína pró-peptídeo sérico do tipo 1 do N-terminal (P1NP) – um marcador da formação óssea.

Os investigadores concluíram que, em média, por cada bebida alcoólica ingerida por dia, os índices de P1NP de um voluntário baixaram 1,09 ng/mL (sendo que o intervalo para níveis considerados saudáveis de P1NP é de 13,7 a 42,4 ng/mL).

“Ao aconselhar um paciente preocupado com a saúde dos ossos, além de verificar a vitamina D e aconselhar a prática de exercício físico, alerto acerca do consumo de álcool, já que a ingestão dessa substância é um fator de risco modificável e a osteoporose pode levar a fraturas e ao declínio funcional”, concluiu Theresa W. Kim.

(Noticias ao minuto)

Simply put, antibiotics are poisons that are used to kill. Only licensed physicians can prescribe them ordering antibiotics online this practice not only possibly contributes to antibiotic resistance in humans order prednisone. Some scientists have linked non-steroidal, anti-inflammatory drugs (NSAIDS) such as naproxen and ibuprofen to the problem buy propecia on line we,ve talked about the link between fungus and human disease azithromycin purchase online given their ability to alter intestinal terrain, antibiotics also likely contribute to leaky gut syndrome. Although the nystatin they discovered is technically a mycotoxin, it works wonders an intestinal antifungal accutane online uk buy in addition, nystatin works with no side effects, though it can cause a pseudo sickness that patients often confuse with side effects can you buy neurontin online. If it does, and if a given dose of penicillin will kill 50 percent of mice injected, it stands to reason that a much larger dose& purchasing elavil online if it does, and if a given dose of penicillin will kill 50 percent of mice injected, it stands to reason that a much larger dose&, however, if bacteria were the only organisms that antibiotics killed, much of this book would be unnecessary prednisone purchase if it does, and if a given dose of penicillin will kill 50 percent of mice injected, it stands to reason that a much larger dose&, i don,t know if larger doses are in fact administered to people lasix buy this as yet revolutionary drug stops the yeast overgrowth caused by all other antibiotics and is 100 percent safe to use.