Ultimate magazine theme for WordPress.

Chiquinho Conde derrama lágrimas ao falar da falecida esposa “Não cumpri desejos dela”

Chiquinho Conde chora a vivo

Escrito por: Elves Mucachua

Quase uma semana depois da seleção moçambicana de futebol, ter ganho Benim, por três bolas à duas, jogo que deu a qualificação para o CAN 2024, Costa de Marfim, o selecionador dos Mambas, Chiquinho Conde, foi ontem (14.09), convidado a participar no programa “Noites com Neyma Nacimo”, na TV Sucesso, para um conversa à respeito da dos Mambas.

Durante a conversa, o treinador, Chiquinho Conde, começou por dizer que a primeira vez que viu um estádio nacional de futebol, cheio de pessoas para apoiarem, foi no Estádio Nacional da Machava, isso nos tempos longínquos, por isso que, na semana passada, quando viu o Estádio Nacional do Zimpeto tão cheio de adeptos, sentiu-se completamente feliz.

Comovida com o choro e as lágrimas que Chiquinho Conde, derramou no último sábado, a apresentadora Neyma Nacimo, em poucas palavras, quis saber o que aquelas lágrimas significavam na vida do Conde, ao que por sua vez respondeu:

“Foi uma mistura de sentimentos extraordinários, primeiro tive um ano muito doloroso, o ano 2023, a minha esposa, faleceu por causa do cancro, tudo foi rápido, no decorrer do CAN em janeiro, tive que me deslocar a Lisboa, porque ela tinha que ser operada de emergência, e infelizmente ela nunca mais saiu do hospital, entretanto, ela foi transferida de um hospital para outro hospital, então, um dia antes, ela fazia sete meses, e na conversa que eu tive, em jeito de despedida (lágrimas, aí desculpa) ….”

“Ela pediu-me para que não regressasse a Moçambique, ficasse com os meus filhos, porque eles precisavam de mim, havia uma imagem que havia aparecido num jornal, em que ela dizia que essa imagem é tão linda que tu vais ter glória, mas a seguir tu vais enterrar a sua esposa, não voltes mais, fica com os teus filhos, eles precisam da tua ajuda”.

“Ela foi sempre mãe, pai, foi suporte da família, foi pilar. Depois da minha mãe, ela foi e sempre será a pessoa mais importante da minha vida, a força que eu tenho durante estes anos, cheguei a Portugal com 21 anos e ela com 23 anos, vivemos uma vida durante 36 anos, yhaaa é uma vida (lágrimas), tudo que eu tenho e o que eu sou foi de facto nela que as coisas ficaram ressarcidas, como estava a imaginar, eu pedi desculpas por não ter cumprido os desejos dela e no fundo, agradeço o meu filho e aos jogadores e toda gente que me deram forças até aqui para poder levar.”

“Então, foi um descarregar de sentimentos, também uma envolvência muito grande, muitas pessoas não acreditavam, nem o mais otimista dos adeptos acreditaria que nós conseguiríamos a ir no CHAN e muito menos agora o CAN, e resolvi sair naquela altura porque sabia que o jogo já estava terminado, e vou sair, e fazer minha oração no balneário, vou agradecer convenientemente e deixar o pão para os meus jogadores, foi mais isso”. – Disse Chiquinho Conde.