INAS “aperta cerco” contra oportunistas na atribuição do subsídio da COVID-19 em Sofala

O Instituto Nacional da Acção Social (INAS) está a realizar uma campanha de confirmação de cadastro para o subsídio social básico da COVID-19 na Beira e em Dondo, província de Sofala. O delegado da instituição na província lamentou, no último domingo, haver alguns oportunistas no processo.

O processo de cadastro das famílias carenciadas com direito a auferir subsídios mensais no quadro de mitigação dos efeitos da COVID-19 arrancou, quinta-feira passada, nas cidades da Beira e Dondo, em Sofala. Neste sentido, estão abrangidos agregados familiares chefiados por mulheres, por crianças órfãs e vulneráveis sem fonte de renda, ou que seja abaixo de cem meticais diários.

De acordo com gestores do programa, há algumas pessoas de má-fé que tentam tirar proveito da situação para ganhar dinheiro.

“Agora, o INAS está no terreno para conferir a situação socio-económica dos candidatos à beneficiários deste programa. Infelizmente, temos recebido muita pressão de indivíduos que mesmo estando bem financeiramente acham que temos de criar algum esquema para facilitar”, lamentou Abdul Razak, delegado do INAS, na província de Sofala.

A equipa do Jornal “O País” acompanhou de perto o processo de alistamento dos beneficiários do subsidio de COVID-19, no bairro de Chipangara, na cidade da Beira.

Por sua vez, os beneficiários esperam que o processo seja transparente e justo, tendo em conta os efeitos da pandemia da COVID-19.

“Estou feliz por ter sido alistado e espero que tudo seja transparente e não termine só no papel”, disse Augusto Martinho, residente de Chipangara, na cidade da Beira.

O secretário do bairro de Chipangara, responsável por auxiliar os inquiridores a identificar as famílias vulneráveis, também mostrou-se preocupado com a situações de pessoas oportunistas que se envolvem no processo para tirar proveito próprio.

“Oportunistas não faltam quando se fala de dinheiro, alguns são funcionários, outros tem fontes de renda e vários aparecem para tentar sorte. Tem sido recorrente” disse o secretário do Bairro de Chipangara.

Espera-se que o processo seja finalizado até o princípio do mês de Outubro. A delegação do INAS prevê inscrever 192 mil famílias na Beira e em Dondo, que deverão receber um apoio mensal de 1500 meticais, durante seis meses.

 

Fonte: O pais