Governador de Cabo Delgado diz que ainda não há condições para o retorno da população

O governador de Cabo Delgado disse hoje que ainda não há condições para o retorno da população que fugiu dos ataques armados em Mocímboa da Praia, considerando que as operações de limpeza continuam.

Avila de Mocímboa da Praia está livre dos terroristas, entretanto, as duas forças [de Moçambique e Ruanda] estão de acordo com o que nós emitimos: nas condições em que a vila está, nós não podemos aconselhar as nossas populações a voltarem”, disse Valige Tauabo, que visitou hoje a vila sede de Mocímboa da Praia.

Em causa está o anúncio, no domingo, da reconquista da vila de Mocímboa da Praia, considerada por muitos a “base” dos grupos insurgentes que têm protagonizado ataques armados em Cabo Delgado desde 2017.

A operação foi conduzida por uma força conjunta que integra militares de Moçambique e do Ruanda, país africano que tem, desde o início de julho, cerca de mil militares e polícias em Cabo Delgado para apoiar Moçambique na luta contra os grupos armados.

As primeiras imagens divulgadas pela imprensa moçambicana mostravam uma vila quase fantasma e com várias infraestruturas destruídas, entre hospitais, escolas e empresas, além das instalações do porto e do aeroporto.

Segundo o governador da província de Cabo Delgado, as comunidades só podem regressar à vila após a conclusão do trabalho da força conjunta nos bairros nos arredores da vila.

“Limpeza está em curso”, frisou o governador da província.(LUSA)