Ex-presidente Zuma precisa de seis meses para tratamento de emergência

Jacob Zuma precisa de seis meses para um amplo tratamento de emergência devido a uma lesão traumática, diz médico militar.

Um médico militar, tido como sendo de alto escalão, citado pela Rádio Moçambique disse aos serviços correcionais e à justiça que na sequência da lesão traumática sofrida no ano passado, Jacob Zuma necessita de um amplo tratamento de emergência e seis meses de cuidados para restaurar a sua saúde.

Este parecer do doutor Zukile Mdutywa foi divulgado justamente no dia em que Zuma deveria estar no Tribunal, para dar início ao julgamento do caso de corrupção na compra de armas, em 1999.

Por isso, foi com naturalidade que o promotor do caso, Billy Downer, disse que o estado não estava satisfeito com o que considerou de generalidades vagas do parecer do médico militar, escreve a RM.

De acordo com a fonte, um outro defensor do estado disse que o parecer do médico militar não identifica a real condição médica de Zuma e diz ser difícil de entender como este problema de saúde se arrasta por dezoito meses.

A defesa alega que Zuma não teve tempo de cuidar da sua saúde devido às constantes idas ao tribunal e agora devido a detenção, por desobediência à justiça.

Assim sendo, os médicos que atendem Zuma, nos serviços de saúde militar, devem submeter um relatório detalhado, sobre o estado de saúde do ex-presidente, até sexta-feira da próxima semana.

O Estado, por seu turno, vai indicar um médico para avaliar o referido relatório.
Jacob Zuma continua hospitalizado, desde a última sexta-feira.

Zuma enfrenta dezasseis acusações de lavagem de dinheiro, fraude, corrupção e extorsão. Já a empresa de fornecimento de equipamentos militares francesa Thales enfrenta quatro acusações.

Jacob Zuma precisa de seis meses para um amplo tratamento de emergência devido a uma lesão traumática, diz médico militar.

Quatro dias depois começam a ser conhecidas as causas de internamento do ex-presidente sul-africano, Jacob Zuma, cujo julgamento foi adiado para nove de Setembro.

Um médico militar, tido como sendo de alto escalão, citado pela Rádio Moçambique disse aos serviços correcionais e à justiça que na sequência da lesão traumática sofrida no ano passado, Jacob Zuma necessita de um amplo tratamento de emergência e seis meses de cuidados para restaurar a sua saúde.

Este parecer do doutor Zukile Mdutywa foi divulgado justamente no dia em que Zuma deveria estar no Tribunal, para dar início ao julgamento do caso de corrupção na compra de armas, em 1999.

Por isso, foi com naturalidade que o promotor do caso, Billy Downer, disse que o estado não estava satisfeito com o que considerou de generalidades vagas do parecer do médico militar.

De acordo com a fonte, um outro defensor do estado disse que o parecer do médico militar não identifica a real condição médica de Zuma e diz ser difícil de entender como este problema de saúde se arrasta por dezoito meses.

A defesa alega que Zuma não teve tempo de cuidar da sua saúde devido às constantes idas ao tribunal e agora devido a detenção, por desobediência à justiça.

Assim sendo, os médicos que atendem Zuma, nos serviços de saúde militar, devem submeter um relatório detalhado, sobre o estado de saúde do ex-presidente, até sexta-feira da próxima semana.

O Estado, por seu turno, vai indicar um médico para avaliar o referido relatório.
Jacob Zuma continua hospitalizado, desde a última sexta-feira.

Zuma enfrenta dezasseis acusações de lavagem de dinheiro, fraude, corrupção e extorsão. Já a empresa de fornecimento de equipamentos militares francesa Thales enfrenta quatro acusações.

O PAIS